Cruz Missioneira: Símbolo de fé redobrada e proteção nas Missões.

No início do Cristianismo São Pedro, São Paulo e seus apóstolos desenhavam (para poder ser apagada caso chegasse algum Romano) a Cruz Patriarcal no chão para evangelizar, o que diferenciava a cruz de Jesus Cristo das outras é o segundo braço pequeno que representava a placa onde havia sido escrito INRI.
Com o passar dos tempos esta cruz foi pegando forma de um segundo braço, A Cruz de Caravaca e Lorena se originam desta adaptação ou evolução.
A Cruz Missioneira tem significado próprio, da origem de um povo que tem muito orgulho de se chamar gaúcho.
Foi trazida pela primeira vez pelos Padres Jesuítas da Companhia de Jesus que tinha na maioria de seus membros a origem espanhola da cidade de Caravaca de La Cruz e adotado como símbolo de conquista de território assim como a Nossa Senhora Conquistadora. Esta evangelização e mistura de cultura simbolizada na Cruz Missioneira se espalha por todo o Território do Rio Grande do Sul, atingindo países como Paraguai e Argentina influenciando a demarcação dos territórios nascendo o Uruguai.
A Nação Missioneira que tem como desenho a cruz de quatro braços era conhecida como a nação de três bandeiras , símbolo regado de História, Guerras, Colonizações, Costumes e principalmente Miscigenação.
Objetivamente a Cruz Missioneira tem quatro braços em seu desenho e os detalhes se alteram conforme o artesão e a comunidade que a produz. Tem sua origem e modelos em três cruzes. Cruz de Caravaca, Cruz Patriarcal e Cruz de Lourena, a história destas três cruzes se cruzam e misturam-se carregadas de simbologia que se fundem dando ainda mais valor a Cruz Missioneira.

#MissõesTeEsperam #VisiteDepois #ViajePeloRS #VisiteAsMissões.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Prefeitura Municipal de São Miguel das Missões