Escola do Trabalhador oferece diversos cursos online gratuitos e com certificado

A Escola do Trabalhador atingiu, em abril de 2019, a marca de mais de 1 milhão de matrículas realizadas. O programa, criado em 2017 por meio de uma parceria de pesquisa e extensão do então Ministério do Trabalho (hoje sob responsabilidade do Ministério da Economia) e a Universidade de Brasília, contabiliza mais de 620 mil cursistas e 160 mil certificados emitidos pela UnB.

Atualmente, a plataforma, que também conta com o apoio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Ibict, disponibiliza 30 cursos a distância, divididos em 12 eixos temáticos. Para fazer os cursos basta acessar o site www.escoladotrabalhador.gov.br

Thérèse Hofmann, coordenadora geral do projeto, acredita que o crescimento constante de interessados na plataforma é fruto de um conjunto de fatores, como a emissão de certificados pela UnB, a qualidade dos cursos, a disponibilidade durante 24 horas nos 7 dias da semana, a ausência de tempo máximo para conclusão do curso e a possibilidade do cursista poder baixar as aulas em formato pdf, o que permite a continuidade dos estudos mesmo sem rede de internet.

“Esta marca de um milhão de matrículas mostra que nosso projeto atende aos propósitos pactuados com o Ministério da Economia. Ela deve ser muito festejada, pois como projeto atrelado à uma ação de governo junto com a universidade pública comprova que as parcerias público-público são fundamentais para reverter as dificuldades do cidadão e propiciar os caminhos para o aumento da empregabilidade e da geração de renda”, afirma a coordenadora.

Para Thérèse, o fato da equipe do projeto ser multidisciplinar, com expertise em diversos temas e áreas do conhecimento também é um fator que explica o sucesso. “Temos uma estrutura organizada com profissionais muito dedicados que, desde o início, entenderam o diferencial do projeto. Toda esta dedicação e empenho têm permitido os resultados que obtivemos com altos índices de aprovação do portal e dos cursos”, finaliza.