DIRETORIA DO CISMISSÕES SE REÚNE EM SÃO PAULO DAS MISSÕES

DIRETORIA DO CISMISSÕES SE REÚNE EM SÃO PAULO DAS MISSÕES

10 de março de 2020 0 Por admin

Na última quinta-feira, dia 6 de março, a Presidente do CISMISSÕES, Prefeita de São Paulo das Missões Noeli Maria Ruwer, reuniu sua diretoria para tratar de assuntos pertinentes ao funcionamento do Consórcio, entre esses a eleição e posse da nova diretoria que está marcada para o dia 3 de abril e será realizada no município de Entre-Ijuís, sede do CISMISSSÕES. Também presente nesta reunião, o Presidente da AMM, Prefeito de Santo Antônio das Missões Puranci Barcelos, destacou a importância deste consórcio para os municípios e o competente trabalho que vem sendo realizado ao longo dos anos.

Para entender melhor o que é o CISMISSÕES:
O CISMISSÕES constitui-se em um consórcio administrativo abrangendo 29 municípios, prestando serviços de aquisição de medicamentos, através da gestão das licitações e compras centralizada; e de consultas, exames e procedimentos especializados em saúde, complementares aos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde -SUS. Os resultados concretizados, nestes anos de atividades, demonstram que a saúde com seu propósito de prevenção e cura, podem estar associados aos serviços públicos, sempre em busca da melhoria de acesso das comunidades dos municípios consorciados.
O CISMISSÕES foi fundado a partir de ideia debatida entre prefeitos, em meados do ano 1997, quando foi decidido fundar um consórcio para fabricação de medicamentos em escala, sendo denominado como “farmácia regional de manipulação”.
Em 2001, a legislação foi acrescida de resoluções neste âmbito, e não contemplava um meio termo entre farmácia e indústria. O consórcio não poderia atuar como farmácia, pois, em suma, não dispensava os medicamentos aos usuários no local de produção; e não poderia ser definida como indústria, devido a não possuir porte em estrutura e equipamentos para tal. Ocasião que seu técnico informou ao conselho de administração que a produção deveria ser cessada, porém poderia ser implantado outro formato para manter a disponibilidade de medicamentos aos municípios, realizando a aquisição centralizada. Decidido realizar a experiência, e comparativo de custos, logo nos primeiros meses obteve-se economicidade no processo de aquisição, comparando-se ao de produção, tornando-se pioneiro nesta modalidade.
Diante de um quadro de crescente demanda de usuários do SUS, no ano de 2006, considerando um cenário de dificuldade de acesso a saúde de média complexidade, em que os municípios em sua maioria não tinham profissionais, bem como equipamentos para realização, principalmente de consultas, exames e procedimentos especializados, foi amplamente debatida a alternativa de inserir o consórcio para solucionar o problema de acesso neste quesito, para complementar e dar resolutividade a esta demanda reprimida.
A partir daí, foi implantado o serviço de saúde complementar e suplementar ao SUS, sendo uma forma de unificar valores de consultas médicas, exames e procedimentos, aumentado a oferta aos municípios, principalmente os de pequeno porte, que tinha maior dificuldade de acesso quando havia necessidade, e em eventual êxito, o custo era muito elevado. Os suportes de recursos dos municípios ao lado de gestão inovadora provaram que é possível melhorar o atendimento à saúde da população com economicidade, equidade e agilidade.
A trajetória não é fácil, obstáculos são superados, mas o propósito em servir bem e melhor, sem distinção, é primazia na prestação de serviços do consórcio.
A união, apoio e dedicação de todos os prefeitos e secretários de saúde foram fundamentais para os resultados obtidos.
A colaboração dos funcionários e profissionais também são fatores essenciais para os objetivos nos serviços, e para alcançar o interesse do real beneficiário: o paciente.
Na região de abrangência, o apoio vem das Prefeituras, Câmaras Municipais, hospitais, e das empresas e instituições do setor saúde. Há consenso de que o serviço complementar melhora as condições de saúde da comunidade. Por isso, o compromisso, a resolutividade, qualidade e humanização são valores permanentes, as quais norteiam as ações do consórcio.

MUNICÍPIOS CONSORCIADOS
– ALEGRIA
– BOSSOROCA
– CAIBATE
– EUGENIO DE CASTRO
– 16 DE NOVEMBRO
– GARRUCHOS
– ITACURUBI
– SAO BORJA
– SAO NICOLAU
– PIRAPÓ
– MATO QUEIMADO
– UBIRETAMA
– SETE DE SETEMBRO
– CERRO LARGO
– SALVADOR DAS MISSOES
– CAMPINAS DAS MISSOES
– SAO PAULO DAS MISSOES
– SANTO ANTONIO DAS MISSÕES
– SAO MIGUEL DAS MISSOES
– SAO PEDRO DO BUTIA
– PORTO XAVIER
– ROQUE GONZALES
– TRÊS DE MAIO
– INDENPENDENCIA
– ENTRE IJUIS
– VITORIA DAS MISSOES
– GIRUA
– GUARANI DAS MISSOES

Por Izabél Cristina Ribas

Fonte:Associação dos Municípios das Missões