Lançado projeto para saneamento rural em Santo Ângelo

A partir de trabalho elaborado em conjunto entre Ministério Público e Secretaria do Meio Ambiente de Santo Ângelo, foi lançado, nesta sexta-feira, 8, o projeto “Saneamento para Todos”. Inserido no Plano Municipal de Saneamento Básico Rural, o piloto, que iniciará pelo Distrito Buriti, contemplará 100 famílias da localidade com kits sanitários domiciliares, com recursos na ordem de R$ 558 mil provenientes do Fundo de Restituição de Bens Lesados do MPRS.

Esta é uma das etapas de um trabalho que iniciou em 2018 sobre saneamento rural no Município, especialmente para regularizar a situação do consumo de água contaminada oriunda de poços artesianos.

A aprovação do projeto foi publicada no Diário Eletrônico do MPRS no dia 29 de outubro. “Trata-se de um avanço importante na área de saneamento básico rural. Quando o esgoto é tratado, não se gasta em saúde pública”, avaliou o secretário do Meio Ambiente, Francisco da Silva Medeiros.

A partir do lançamento, o município irá complementar a documentação para avaliação técnica do FRBL, para posterior liberação dos recursos. Em seguida, o Governo Municipal irá elaborar processos licitatórios para dar início aos levantamentos socioambiental e socioeconômico que definirá as famílias do distrito que serão contempladas com os kits individuais de esgotamento sanitário, compostos de fossa séptica e filtros. A expectativa é de que o projeto comece a ser executado no primeiro bimestre de 2020.

QUALIDADE DE VIDA NO MEIO RURAL

A promotora da especializada de Santo Ângelo, Paula Mohr, uma das articuladoras do termo de cooperação técnica assinada entre o MP e o Município de Santo Ângelo, por meio do ResSanear, que culminou com a destinação dos valores para a implantação do projeto, disse que o Ministério Público atua em prol da melhoria da qualidade de vida da população da cidade e do interior.

Segundo a promotora, a atuação do MP em Santo Ângelo encontrou eco no Governo Municipal, que abriu o diálogo com a instituição e trabalha em conjunto em projetos para a melhoria na qualidade da água que abastece a população, na destinação correta dos resíduos e no aperfeiçoamento da rede de esgotamento doméstico, com reflexos na permanência das famílias no interior. “Levar qualidade de vida para o interior, como preconiza o Plano de Saneamento, é essencial para a permanência do agricultor no meio rural produzindo alimentos”, disse Paula.

Em sua manifestação o prefeito Jacques Barbosa destacou a postura pró-ativa da promotora Paula Mohr em defesa da sociedade e a cooperação que tem dispensado para a solução de problemas que se arrastam há décadas em Santo Ângelo, com foco no saneamento básico.

O chefe do Executivo ressaltou que a qualidade de água é imprescindível também para a produção das agroindústrias de Santo Ângelo, agregando valor à produção, ampliando a possibilidade de emprego e renda no meio rural, levando alimentos saudáveis à mesa do trabalhador.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.9&appId=999971150117818”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul