Pesquisa revela que PIM diminui índices de homicídios de adolescentes

Municípios que desenvolvem o programa Primeira Infância Melhor (PIM) apresentam índices de homicídios em adolescentes cerca de 40% menores do que municípios sem o programa. Essa é a conclusão preliminar da pesquisa da argentina Laura Jaitman, pelo London School of Economics (Londres). Como a pesquisa está em andamento, a pesquisadora pretende avaliar em profundidade os benefícios do trabalho do PIM nas famílias atendidas.

“Queremos compreender os caminhos pelos quais conseguimos reduzir os homicídios dos jovens e também entender as outras dimensões em que o PIM pode ter impacto, como na saúde, no ingresso e na trajetória escolar, em gravidez precoce e na inserção no mercado de trabalho destes cidadãos que tiveram acompanhamento do programa durante os anos iniciais da vida”, explica a pesquisadora.

Laura defende que é muito mais barato e eficaz investir em políticas públicas preventivas focadas na primeira infância em territórios mais vulneráveis do que tentar reprimir a violência tardiamente. “A violência no Brasil é concentrada, principalmente, em jovens, tanto os agressores quanto as vítimas. Precisamos garantir que os cidadãos tenham plenas condições de desenvolvimento infanto-juvenil, acesso à educação, cultura e esportes, e, mais tarde, facilitar o acesso do jovem ao mercado de trabalho”, completou Laura. “O PIM é um exemplo de intervenção muito completa e em larga escala. Quando investimos nessa faixa etária o retorno é muito maior, e permitimos que essa criança atinja todo seu potencial durante a fase adulta. As taxas de mortalidade infantil também são estatisticamente menores nas cidades que têm o PIM implantado” explicou.

O estudo foi apresentado para representantes da Polícia Civil e de diferentes secretarias de Estado, que compõem o programa estadual RS Seguro, na tarde desta terça-feira (26/11). “Acreditamos nas parcerias para realizarmos ações conjuntas no âmbito do RS Seguro. Ficamos felizes com pesquisas como esta, que demonstram que o PIM traz resultados não apenas para a redução da violência, mas também em outros eixos do desenvolvimento infantil”, afirmou a secretária de Saúde, Arita Bergmann. “Com essas informações podemos avaliar nossos caminhos e projetar o futuro.”

O delegado de Polícia Antônio Carlos Pacheco Padilha disse que o trabalho de pesquisa de Laura Jaitman foi utilizado para estruturar o programa RS Seguro. “São as políticas públicas preventivas e transversais como o PIM que podem efetivamente reduzir as taxas de violência no nosso Estado”, justificou o delegado.

Texto: Marília Pereira Bissigo/Ascom SES
Edição: Secom

Fonte: Portal do Estado do Rio Grande do Sul